Blog de Marketing Digital de Resultados

Como o RD Summit e a produção de conteúdo mudaram minha vida profissional

Alguma coisa mágica acontece lá todos os anos e você não pode ficar de fora

Há alguns anos eu era gerente de marketing de uma empresa, mas uma reestruturação levou uma centena de pessoas para a rua.

Eu estava no meio.

Naquela época eu estava prestes a defender meu mestrado, o que me abriria novas portas. Entretanto, isso não aconteceu e eu passei seis meses desempregada.

Felizmente, uma amiga me indicou uma vaga e eu voltei a trabalhar, novamente como gerente de marketing. Havia uma nova injeção de ânimo em mim naquele novo trabalho e eu havia aprendido que nunca mais deveria ter apenas um plano só na vida.

Logo que voltei a trabalhar, comecei a mapear cursos e eventos de marketing dos quais podia participar para me atualizar e aumentar meu networking. Foi quando um post patrocinado sobre o RD Summit surgiu na minha frente.

Certamente não foi do nada: na época estávamos pesquisando sobre ferramentas para automação de marketing para a empresa e logo que vi o Summit de 2015 eu cismei que precisava muito ir. Meu chefe ficou animado e pagou o ingresso, a passagem aérea e o hotel para mim.

Meu voo atrasou e eu cheguei duas da manhã em Florianópolis, dormi algumas horas e acordei para meu primeiro dia de evento. Quando cheguei lá me senti na Disneylândia do Marketing Digital.

Que lugar enorme, quanta gente, que organizado! As palestras eram tantas que eu não conseguia imaginar que aquilo existia e que só aquele ano eu havia descoberto. Assisti com muita atenção a tudo que pude, anotei muito e foi difícil quando o evento acabou, não dava mais vontade de sair dali. Conheci muita gente legal que se tornou amiga até hoje.

RD Summit 2015

RD Summit 2015 | Foto: Cassiano Ferraz

Petulantemente eu havia dito para mim mesma que obteria resultados tão bons aplicando tudo que havia aprendido, que no ano seguinte palestraria lá, sem ainda nem saber como isso aconteceria. E para isso eu tenho até testemunha, pois contei sobre essa vontade para a garota que me acompanhava, que eu havia conhecido na fila de credenciamento.

Voltei para minha cidade decidida a colocar tudo aquilo em prática. Finalmente os pontos se conectaram e eu tinha uma visão clara sobre como implementar Inbound Marketing de ponta a ponta junto com minha pequena equipe.

Nas semanas seguintes ao evento traçamos toda a estratégia. Reformulamos blogs, produzimos conteúdo, criamos materiais ricos, cuidamos das mídias sociais, usamos análise de dados a nosso favor, melhoramos a experiência do usuário.

Contratamos a plataforma de automação da RD e começamos a escalar com Inbound Marketing. Criamos fluxos de automação, emails segmentados e trabalhamos conteúdo por objeções. Treinamos a equipe para a nova estratégia, envolvendo os vendedores.

Semana a semana vimos os resultados crescerem, novos clientes chegarem e a base, que antes tinha zero contatos, agora contava com milhares deles, todos segmentados.

Estávamos muito felizes com tudo aquilo. O evento havia mudado minha percepção de muitas coisas e o ponto alto foi ter ouvido tantos especialistas e estratégias. Com certeza foi isso que nos ajudou a não apanhar na implantação.

Eu estava feliz naquele trabalho, mas sabia que precisava ir além.

Paralelamente à implantação da estratégia na empresa eu comecei a escrever artigos no Linkedin ao descobrir que uma nova opção na plataforma permitia a publicação de textos mais longos. Escrevi um primeiro artigo curto sobre buyers personas e publiquei. Infelizmente ele teve três curtidas e revelou-se um fiasco, era muito curto e nada atrativo na forma como foi escrito, eu ainda estava aprendendo o que funcionava por ali, gostava de escrever e continuei.

Nas semanas seguintes publiquei novos artigos, de resultados ainda ruins. Até que um dia postei mais um e fui trabalhar. Quando abri o artigo de novo mal podia acreditar nas estatísticas. As pessoas estavam interagindo e as visualizações haviam estourado. Isso me animou a continuar escrevendo, pois entendi que finalmente havia sido útil para quem me lia.

Um dos artigos que publiquei passou da casa dos milhões de visualizações e centenas de comentários. E ele era extremamente longo, havia investido quase dez horas para escrevê-lo.

vida profissional - flavia gamonar no linkedin

A visibilidade na plataforma aumentou conforme fui compartilhando com a minha rede o meu conhecimento, meus livros preferidos, minhas experiências profissionais. E então os convites começaram a surgir: aulas, palestras, cursos, colaboração com empresas, propostas de emprego, startups, entre outros. Pude dar aulas em muitos cursos de pós-graduação em faculdades pelo Brasil, algo que gosto bastante.

Eu aceitava tudo isso conforme podia, porque era funcionária de uma empresa em horário comercial. Até que um dia não foi mais possível conciliar, porque as oportunidades eram muitas e eu vi que podia ir além e estar mais próxima de meu sonho de dar mais aulas e cursos e viajar pelo Brasil.

Pedi demissão e abri meu primeiro CNPJ para dar cursos de marketing pelo país. O negócio deu certo e um ano e meio depois já pudemos dar aulas para mais de 500 alunos em nossos cursos e atendemos no total mais de sessenta marcas nesses cursos e também no formato in company. Mas estamos no começo e temos muito a crescer ainda.

No meio do ano passado estava participando do RD on the Road São Paulo quando no meio de uma palestra quase gritei. Havia atualizado a página da faculdade e descoberto que estava aprovada no doutorado em Mídia e Tecnologia. Ia me dedicar a estudar credibilidade e engajamento de textos em mídia digital, assunto pelo qual sou apaixonada e que está relacionado ao universo do Marketing de Conteúdo.

Saí da sala quase atordoada com aquela notícia incrível e me lembro de que no caminho, próximo ao coffee break, encontrei Eric Santos, CEO da RD. Eu precisava contar a alguém e de forma completamente descontextualizada falei para ele “não acredito, eu fui aprovada no doutorado!”, e ele me parabenizou. Mais uma vez a RD fazia parte de minha vida e marcava um momento.

Em 2016, fui convidada para palestrar no RD Summit pela primeira vez e aceitei emocionada, lembrando-me de tudo que havia vivido em minha vida profissional até então. Na ocasião, compartilhei com uma plateia enorme minha história pessoal de produção de conteúdo no LinkedIn e o tema que me foi pedido para abordar era “como um artigo levou a 100 mil seguidores no LinkedIn”. Reencontrei muita gente querida e novamente aprendi muito.

RD Summit 2016 | Foto: Renata Larroyd

RD Summit 2016 | Foto: Renata Larroyd

Ter escrito artigos que foram considerados relevantes e engajadores em 2016 me levou para a lista Top Voices do Linkedin, no meio dos 15 brasileiros que se destacaram escrevendo, mostrando mais uma vez o poder do conteúdo.

Em 2017 palestrei sobre Marketing de Conteúdo no RD on the Road de Porto Alegre e penso que entrei definitivamente para a família da RD, de modo que não consigo mais ficar longe dos eventos e do time, que fez parte de grandes momentos da minha vida profissional e com quem aprendi muito.

RD On The Road - Flavia Gamonar

RD On The Road Porto Alegre 2017 | Foto: Juliana Finkler

Há poucos dias recebi mais uma boa notícia, ganhei o Prêmio Digitalks 2017 na categoria Content Marketing e o processo foi baseado em votação popular. Ou seja, meus leitores de blog e LinkedIn me levaram a esse resultado por gostar do que escrevo, mais uma prova do poder do conteúdo.

Em novembro, o livro que escrevi com mais dois autores, “DISRUPTALKS”, estará à venda. Nele, falamos sobre carreira, empreendedorismo e inovação em uma época de mudanças rápidas, e o Marketing de Conteúdo é um dos tópicos.

Volto para falar no Summit de 2017, em uma palestra com o seguinte título: “De 0 a 500 mil seguidores: como se destacar como profissional ou empresa produzindo conteúdo no LinkedIn” e vou compartilhar o que venho estudando e experimentando nesse sentido

Afinal, sabemos que conteúdo é poderoso, mas como usá-lo para destacar sua imagem como profissional e também gerar oportunidades no LinkedIn? Como usar a rede como empresa para criar uma cultura autoral envolvendo os colaboradores nessa produção? Sobre o que escrever e como construir uma imagem de credibilidade também capaz de gerar engajamento e resultados?

Se você ainda tem alguma dúvida se vale a pena ir ao Summit, a mensagem final que deixo é para não perder mais tempo, porque alguma coisa mágica acontece lá todos os anos e você não pode ficar de fora. E, se você já garantiu presença, nos vemos lá!

Este ano serão 3 dias de evento, mais de 8 mil participantes, 8 palcos de palestras acontecendo paralelamente, mais de 80 expositores, networking, entretenimento e muito mais.

Os ingressos já estão à venda nesse link.

Veja também como foi em 2016:

Marcadores:

Deixe seu comentário