Blog de Marketing Digital de Resultados

#Hostel: Samira Cardoso aponta os erros mais comuns no processo de inovação das empresas

Durante o Hostel by RD Summit, a CEO da Layer Up destacou que é preciso recuperar o que desaprendemos sobre inovação na última década

A sócia e CEO da Layer Up, Samira Cardoso, trouxe o tema “Tecnologia e Pessoas: O que desaprendemos sobre inovação nos últimos anos?”, durante o Hostel by RD Summit. No bate-papo, Samira reforçou que, diante de um cenário de pandemia, estar aberto ao novo e tomar riscos não é uma questão de escolha, mas sim de sobrevivência.

“Em 2020, estamos vivendo um momento de adaptação, e todas as empresas, independentemente do tamanho, precisam se reinventar. Para isso, é essencial que existam pessoas criativas, ousadas e assertivas na tomada de decisões. Para ser grande é preciso correr riscos”, afirma Samira.

Em um momento em que mais de 14 milhões de brasileiros estão desempregados, e 8 milhões passaram a trabalhar remotamente, de acordo com o IBGE, Samira destacou que as empresas passaram a enxergar a tecnologia como ela é: não como uma fonte, mas como uma facilitadora da inovação.

A tecnologia sem estar aliada a pessoas e um modelo de gestão não é o suficiente para mover uma empresa para um outro patamar.

samira cardoso hostel

>> Leia a cobertura completa com todos os posts sobre o Hostel by RD Summit 2020

Erros mais comuns no processo de inovação

E quais são os erros mais comuns que podem aparecer durante esse processo de disrupção digital? A executiva elencou os principais erros que uma empresa pode cometer na busca por inovar.

1. Não querer mudar

Uma empresa que quer inovar precisa aproveitar as oportunidades de trazer coisas novas, diferentes, de alto valor e replicáveis em escala. Sem isso, ela não evolui. A inovação permite que empresas em geral possam levar seus atuais produtos e serviços para novos patamares, realizando poucas mudanças.

Inovar aí implica em ampliar os horizontes de alcance do negócio para novas localidades, segmentos e diferentes perfis de consumidores. Uma empresa de jardinagem que presta serviço para residências pode começar a atender empresas, com exatamente os mesmos serviços.

2. Ter aversão ao risco

Inovar e transformar um negócio exige coragem e uma dose alta de ousadia. A melhor dica é começar a inovação pela construção do processo da tomada de decisão, buscando minimizar riscos desde o início. Isso não quer dizer que eles não existam, mas que podem ser mais controlados.

As empresas mais inovadoras tomam decisões baseada em dados, escolhem profissionais com base em seus valores, e modelam seus produtos a partir da necessidade das pessoas. Todas essas variáveis ajudam a construir uma marca pensando em quais impactos ela vai gerar no consumidor.

3. Contratar as pessoas erradas para as ferramentas certas

Mais do que ter ótimas ferramentas para inovar o seu negócio, é preciso saber quais são as premissas da pessoa que carrega o processo de decisão dessas ferramentas. Opte por  pessoas criativas e ousadas, que saibam tomar decisões pensando na experiência do seu usuário.

Atraia talentos com agilidade e capacidade de propor a expansão e inovação que o seu negócio precisa. Atente-se a três principais habilidades: adaptação, criatividade e relacionamento interpessoal.

4. Não se preocupar com a sua marca

Antes de uma empresa ser disruptiva, inovadora, ela precisa ser admirada. A sua imagem e marca refletem a identidade da empresa e dos seus produtos.

Uma marca não é efetivamente forte sem a construção de pilares, aspectos primordiais para definir uma boa colocação no segmento de atuação e no mercado em geral. Redefinir esses componentes é redefinir a própria identidade.


Gostou das dicas e insights? Este foi apenas um resumo do que rolou na palestra! Para assistir a essa e às demais apresentações do evento na íntegra é só acessar a plataforma do Hostel by RD Summit.

Marcadores:

Deixe seu comentário

Comentários