Blog de Marketing Digital de Resultados

Spam: o que é e como manter sua estratégia de marketing longe dele

A prática de spam, que consiste em utilizar meios eletrônicos para enviar mensagens que não foram solicitadas, é altamente prejudicial à credibilidade de empresas

Quem nunca recebeu um email com ofertas de remédios para emagrecer 30kg em um mês, ficar rico do dia para a noite, ter cabelos de volta, dentre outras promessas milagrosas?

Praticado por pessoas mal intencionadas ou mesmo por empresas que erroneamente veem nele um jeito fácil e barato de anunciar produtos e serviços, o spam é altamente prejudicial para a reputação de marcas.

Em uma estratégia de Marketing Digital, fazer spam também é o caminho mais curto para chegar às temidas blacklists.

Por isso, neste post falamos sobre a origem dessa prática tão famigerada e trazemos algumas dicas para que você mantenha sua estratégia longe dela.

Índice

O que é spam?

O envio de mensagens não solicitadas na internet ganhou o nome de spam por causa de uma esquete do grupo britânico de humor Monty Python.

No programa, dois clientes vão a um café e percebem que os enlatados da marca norte-americana Spam fazem parte de todos os itens do cardápio — mesmo que o freguês não queira.

A prática de spam consiste em utilizar meios eletrônicos para enviar mensagens que não foram solicitadas, em geral com o objetivo de fazer propaganda de produtos e serviços, mas também para aplicar golpes, disseminar boatos e espalhar softwares maliciosos (ou malware).

Uma das principais características do spam é o envio de propaganda em massa. Isso porque, uma vez que os destinatários são aleatórios, é necessário atingir o maior número possível de pessoas para gerar interesse em uma pequena parcela, compensando o esforço do spammer. As mensagens também são encaminhadas em um curto espaço de tempo e a baixo custo.

É difícil citar algum benefício da prática de spam, mas, quando se trata de desvantagens, a lista é imensa.

Para empresas, além do desgaste da credibilidade, enviar spam é uma forma de gerar gastos desnecessários, pois desperdiça-se envios de email e de outras mensagens que poderiam ser encaminhadas às pessoas realmente interessadas.

Já para o receptor a inconveniência é o dano principal, pois o spam o faz perder tempo abrindo e excluindo mensagens desnecessárias.

Embora a via clássica para a prática de spam seja o email, ele pode chegar por diversos outros canais que enviam mensagens em massa. Saiba mais sobre o spam em cada um deles:

Spam em Email Marketing

A linha que define spam e Email Marketing é, muitas vezes, tênue.

Ambos spam e Email Marketing são disparados com fins comerciais. No entanto, uma mesma mensagem pode ser considerada spam por uma pessoa e amigável por outra, caso a primeira não tenha optado pelo recebimento. Essa autorização é chamada de opt-in.

Se um destinatário não opta por receber os emails da sua empresa e mesmo assim os recebe, pode marcar o email como spam. Uma reclamação dessas possui um peso grande na reputação e, quanto mais reclamações, pior será a entrega.

Alguns servidores de email, cansados de tantos spams, resolveram rastrear o IP do servidor de quem enviava as mensagens e os colocaram em uma espécie de lista negra.

Sempre que um email vem desse servidor, é imediatamente considerado spam. A prática funcionou bem e essa lista foi compartilhada com outros servidores.

Os principais provedores hoje usam essa lista, e uma vez que você entrou nela, é muito difícil sair. Nossa sugestão para vencer essa barreira é enviar Email Marketing somente se tiver permissão.

A única forma de sair de uma blacklist é provar que você tinha o opt-in para enviar a mensagem. Para não entrar nela, siga sempre as boas práticas de Email Marketing.

Spamdexing

O spamdexing envolve algumas das várias técnicas de black hat SEO, que são tentativas de manipular os mecanismos de busca para indexar conteúdos e conseguir um ranqueamento melhor no Google.

Essas práticas são prejudiciais ao seu site, no entanto. Sabemos que desde os anos 2000 o Google atualiza seu algoritmo com frequência para identificar técnicas de manipulação de resultados, punindo os sites que as utilizam (chegando a remover esses sites do buscador, em casos mais extremos) e priorizando aqueles que oferecem conteúdo de qualidade e focado no usuário.

Spam em blogs

Você já viu comentários totalmente irrelevantes em blogs e fóruns, somente com o objetivo de incluir um link? Essa é mais uma tentativa de se obter autoridade e tráfego de forma mais fácil.

A prática, que já foi muito comum para tentar melhorar o ranqueamento da página, caiu em desuso com a inclusão da tag nofollow nesses espaços. A etiqueta identifica para os robôs dos buscadores que todos os links inseridos no local não devem receber nenhuma autoridade.

Hoje a única vantagem que ainda existe ao incluir um link em comentários e fóruns é a geração de tráfego e, em alguns casos, a possibilidade de geração de Leads.

Nesse caso, se o link for relevante para a discussão no fórum ou para os comentários do conteúdo, incluir um link nesses locais pode trazer resultados positivos.

Spam em aplicativos de mensagem e SMS

As formas de comunicação evoluíram, e o spam também. Assim, aplicativos como WhatsApp, Telegram e Skype têm sido alvos de spammers.

Quem recebe esse tipo de mensagem pode bloquear e reportar as contas que enviaram o spam ou mudar as configurações de privacidade para receber mensagens somente dos próprios contatos.

Por consequência, com a popularidade de aplicativos de mensagem como os mencionados acima, o velho SMS acabou subutilizado, servindo mais para o envio de spam do que para seu fim original. Já existem até aplicativos dedicados a bloquear esse tipo de spam — um exemplo é o Call Blocker.

Spam em redes sociais

Nas redes sociais, conteúdos indesejados podem se manifestar de diversas formas, como em grupos, caixas de comentário, mensagens pessoais, links maliciosos, perfis falsos, dentre outros.

Em grupos ou comunidades, o spammer pode se aproveitar do interesse em comum das pessoas para fazer propagandas relacionadas. Já nos comentários de fanpages ou publicações movimentadas, pode postar links de divulgação aleatoriamente.

Como manter sua estratégia de Marketing Digital longe do spam

Além de não praticar as técnicas de spam listadas acima, existem algumas ações que você pode fazer para garantir que sua estratégia de Marketing Digital esteja livre dessa prática. Confira algumas:

1. Não compre listas de emails

Quando falamos em Email Marketing, é importante ter em mente que em nenhuma hipótese a compra de emails é benéfica.

Listas compradas em geral trazem endereços que pertecem a pessoas aleatórias, que além de não terem dado permissão ao recebimento dos seus emails, provavelmente não estão interessadas no seu produto ou serviço.

Há uma série de razões para não comprar listas de email: primeiro, qualquer mensagem não autorizada é uma interrupção inconveniente. Além disso, o usuário pode marcar a empresa como spam, prejudicando a entregabilidade, e injuriá-la nas redes sociais, o que acaba com a credibilidade.

No vídeo abaixo, falamos mais sobre entregabilidade.

Para saber mais sobre compra de listas, leia o post Por que comprar listas de emails é uma grande furada.

2. Higienize sua lista de emails

Por falar em lista de emails, lembre-se de higienizar a sua! O principal objetivo da higienização é remover todos os emails que não são válidos nem relevantes para as próximas campanhas da sua empresa.

Se você estiver enviando emails para muitos endereços que não existem, isso é encarado como forte sinal de que a lista não tem qualidade e não é tratada com o devido cuidado.

Assim, o servidor de envio de emails fica “malvisto” e, mesmo quando a mensagem é relevante e o destinatário quer receber o email, o conteúdo pode acabar parando nos filtros anti-spam.

Na prática, a higienização serve para eliminar emails irrelevantes e é essencial para manter a boa reputação e garantir uma boa entregabilidade.

No post Como engajar sua base de emails usando mídia paga ensinamos uma técnica para higienizar e reengajar sua lista.

3. Não utilize títulos caça-cliques

Títulos caça-cliques são muito utilizados no Facebook. Caso não se lembre, são aqueles do tipo “você não vai acreditar no que aconteceu em tal lugar” e que em geral não dizem do que o conteúdo se trata a menos que o usuário clique no link.

Desde 2014 o Facebook tem combatido essa estratégia. No ano passado, a rede social lançou uma atualização para banir ainda mais a prática.

O sistema implementado pelo Facebook identifica se um post tem características que omitem informações necessárias para a compreensão do conteúdo do artigo e que criam expectativas enganosas no leitor, diminuindo o alcance orgânico dessas fanpages.

Para evitar essas punições, seja claro em seus títulos! E, além disso, entregue no texto o que o enunciado promete.

4. Escreva emails sem cara de spam

Evite emails escritos com a cor vermelha ou com características normalmente associadas à spam, como as promessas milagrosas que mencionamos no início do post.

Há alguns detalhes que podem ser seguidos para que seu email não pareça indesejado: limite o assunto a cerca de 50 caracteres e não use caixa alta; evite usar demasiadamente termos como promoção, free, clique aqui, grátis, crédito etc.; não exagere no uso de exclamações e interrogações.

Leia também: Como criar assuntos de Email Marketing que despertam curiosidade + 30 templates

5. Utilize templates HTML

Os principais serviços de email (como Gmail, Hotmail e Yahoo!) possuem um bloqueio padrão de segurança para exibição de qualquer email que tenha o conteúdo todo em imagens.

email no spam

Com o nosso dia a dia cada vez mais abundante de informações, é raro que os usuários tenham disponibilidade de tempo e interesse a ponto de autorizar a exibição para só então descobrirem do que o email trata e verem se vale a pena clicar.

Isso não funciona bem. É preciso que o email mostre a que veio logo de cara. Ao usar apenas imagem, muitos destinatários irão ignorar o email, ou ainda deletá-lo ou marcá-lo como spam.

A melhor forma de se certificar de que a mensagem do email será transmitida ao destinatário, mesmo que este não autorize a exibição das imagens, é utilizar um template de email em HTML com uma boa distribuição entre textos e imagens com alt tags.

De preferência, utilize templates HTML que já estejam prontos e otimizados para os diferentes serviços e dispositivos. A maioria das ferramentas disponibiliza esses templates e, caso prefira, com uma rápida busca no Google já é possível encontrar muitos com excelente qualidade.

6. Não seja insistente nas redes sociais

Uma forma de spam comum nas redes sociais é a de aproveitar a seção de comentários de publicações que estão bombando para divulgar fanpages, produtos, serviços, sites, dentre outros. Isso pode levar seu perfil ou fanpage a serem denunciados e, em casos extremos, tirados do ar.

Atualmente, também existem bots que seguem pessoas no Facebook, Instagram e em outras redes sociais com o objetivo de obter seguidores, em uma automatização do famoso “segue de volta”. Mas, caso tente seguir um perfil pessoal e seja recusado, não insista!

Em ambos os casos, o melhor é produzir conteúdo interessante para ser organicamente seguido pelas pessoas que se interessam pelo seu negócio.


Quer saber mais sobre como criar ações de marketing com eficiência e sem o uso do spam?

Baixe gratuitamente nosso Guia do Email Marketing e conheça as melhores práticas para criar boas campanhas.



eBook gratuito: O Guia do Email Marketing

Tudo o que você precisa saber para fortalecer o relacionamento com clientes e gerar resultados de negócio

Marcadores:

Deixe seu comentário