Posicionamento digital: como fazer? Veja dicas para começar

Por meio de um posicionamento digital consistente, sua empresa pode tornar-se autoridade em seu mercado de atuação


É muito comum vermos, em blogs ou em páginas de empresas nas redes sociais, artigos que não possuem qualquer relação com o que o negócio em questão faz.

São piadas, perguntas cotidianas, mensagens de “bom dia” e “boa tarde”,  fatos curiosos ou aparentemente interessantes, mas de mundos completamente diferentes do mercado em que a empresa atua. As principais alegações para fazer isso costumam ser “humanizar a marca”, “gerar engajamento” ou “ter boa repercussão”.

O problema é que, ao apostar em publicações genéricas nos seus canais, as empresas perdem a oportunidade de desenvolverem um bom posicionamento digital. Esse posicionamento influencia na percepção que o público tem do negócio, e pode ser decisivo entre uma empresa tornar-se autoridade ou não em seu mercado de atuação.

Não é que o conteúdo sempre deva ser sério ou frio, mas é importante que se mantenha sempre ao menos alguma relação com a área de atuação, sem ir contra a imagem que a empresa deseja criar de sua marca.

Quer saber mais sobre a importância de ter um posicionamento digital e como fazer? Então continue a leitura do artigo!

Qual a importância do posicionamento digital para as empresas?

Em seu clássico livro sobre o assunto, Al Ries mostra que posicionamento não acontece na empresa, acontece na cabeça do cliente: é a posição que a marca ocupa, como ela é vista pelas pessoas. No caso do posicionamento digital, essa ideia é transferida para a internet, consistindo na forma como seu negócio é visto no ambiente digital.

Sua empresa pode ocupar a posição de grande referência em um tema, ou ainda algumas posições competitivas como a mais barata, a de melhor qualidade, a mais indicada para determinado público alvo etc.

Isso é importante porque, por mais que sua empresa queira conquistar determinada posição, são as interações com a marca, incluindo aí o conteúdo que sua empresa publica na internet, que criam e contribuem diretamente para a formação dessa imagem que o cliente tem da empresa.

Perder o foco é dar margem para confusão. Quanto mais sua empresa “martelar” no tema ou posição que quer ocupar, maior a probabilidade de ser assim reconhecida e de os potenciais clientes lembrarem dela quando pensarem no assunto do seu negócio. 

Como desenvolver um posicionamento digital consistente? 3 dicas simples

Agora que você já sabe do que se trata, siga as dicas a seguir para desenvolver um posicionamento digital consistente, que passe a mensagem que você deseja transmitir. 

1. Evite guiar sua produção de conteúdo por curtidas, comentários e outras métricas de engajamento

Imagine que você dirija um carro e precise chegar a uma determinada posição o mais rápido possível. É óbvio que a velocidade é um fator importante, mas nada é mais importante que a direção: andar rápido na direção oposta do seu objetivo não resolve o problema.

Métricas como o número de respostas ou curtidas que um post ganhou medem de forma excelente a “velocidade”. No entanto, não se sabe o quanto isso de fato contribui para a empresa, há o passo anterior, que é determinar a direção.

Se a política de conteúdo não estiver bem direcionada, a velocidade não faz a menor diferença ou, pior que isso, causa a aparência que as coisas estão bem, quando podem não chegar a lugar algum.

2. Mantenha-se dentro do seu tema de negócio

O que grande parte das empresas busca na internet é ter uma comunidade em torno da marca. O nome comunidade já pressupõe a existência de algo em comum. É preciso haver uma ideia, um assunto que interesse a todos que ali estão.

Se a sua empresa publica uma piada aleatória, os mais conservadores podem achar que falta seriedade. Quando é uma fofoca, mesmo que alguns gostem, muitos outros podem se sentir desinteressados. 

E assim seguiríamos por diversos exemplos: uma parte gosta enquanto outra parte não se sente nem um pouco atraída. Mais do que isso: já há milhões de outros sites que têm como objetivo entreter o público de massa ou então retratar notícias genéricas.

O fato é que fugir do tema dá margem para que algumas pessoas fiquem descontentes de maneira desnecessária, sem trazer muitos benefícios para a empresa em troca dessa perda. Muitas vezes podem ser exatamente as pessoas mais interessadas no produto que acabam se afastando, deixando ali os interessados em “entretenimento geral” apenas.

O conteúdo educativo sobre o seu negócio é o grande interesse em comum entre as pessoas que ali estão. É isso que os seguidores esperam receber ao acompanhar você, é o que agrada a todos e o que contribui da melhor forma para o posicionamento da sua empresa.

De maneira geral, você não quer atrair novas pessoas porque elas acham sua empresa divertida, você quer atrair pessoas para que elas possam ver a sua marca como uma autoridade sobre o assunto, criar confiança e, consequentemente, tornarem-se compradores do seu produto ou serviço.

Dessa forma é de fato mais difícil e trabalhoso conseguir “ganhar velocidade”, mas certamente os benefícios e a posição conquistada no longo prazo são mais concretos.

3. Crie uma política de conteúdo para a sua empresa

Criar uma política de conteúdo pode ajudar no seu posicionamento digital. Para isso, é preciso definir diretrizes que vão guiar os conteúdos que são publicados nos seus diferentes canais, como site, blog e redes sociais.

Existem três passos essenciais para sua estratégia:

  • Identifique a imagem que sua empresa deseja conquistar: como você deseja que sua empresa seja vista? Pode ser como a grande expert em determinado assunto, aquela que descomplica, aquela que é mais barata, a que garante os resultados, a que é especialista em determinado segmento, dentre outros;
  • Identifique as características do seu público-alvo: conhecer seu público-alvo é essencial para que seus conteúdos conversem com o que o seu público deseja. Uma dica aqui é criar personas, representações fictícias e detalhadas das características dos seus consumidores, incluindo hábitos, gênero, grau de instrução, tipo de empresa e cargo em que trabalha, problemas principais que enfrenta no dia a dia e que o seu produto ou serviço pode resolver;
  • Delimite os tipos de conteúdo e assuntos que são atrativos para o público-alvo: restringir as publicações aos temas que interessam ao seu público ajuda, ao mesmo tempo, a reforçar a imagem que você deseja transmitir e também a não prejudicá-la.

Claro que nem sempre isso é fácil. Se você quer mais dicas práticas de como produzir conteúdos de qualidade e focados no seu público-alvo, baixe o eBook Marketing de Conteúdo para Resultados e tudo o que você precisa saber para elaborar uma estratégia de conteúdo bem-sucedida. E o melhor: é de graça! 

Preencha o formulário abaixo e comece agora! 👇

Marketing de Conteúdo para Resultados - 2ª edição

Quer saber como as empresas crescem com Marketing de Conteúdo? Descubra e faça na sua empresa também

- Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses. - Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade. * Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.


Artigo publicado em dezembro de 2012 e atualizado em fevereiro de 2021.