ARTIGO – Liderar agora para impulsionar os resultados inovativos nas organizações

A liderança precisa compreender as necessidades individuais e coletivas, alinhadas às necessidades do negócio. Nesse sentido, é imprescindível que ela seja aliada à Diversidade e Inclusão. 


Engana-se quem acha que liderar é uma ação simples. É um trabalho que envolve muita dedicação para conduzir com maestria um time e uma empresa de sucesso. Pelo dicionário Michaelis, a liderança é uma “Pessoa com poder de decidir, de se fazer obedecer” ou “Pessoa com capacidade de influenciar nas ideias e ações de outras pessoas”. 

Entretanto, liderar não se trata somente da autoridade ou da influência sobre outros indivíduos. Significa orientar com foco em resultados, respeitar o próximo e suas diferenças, ter a capacidade de gerir bem os processos, inovar, entre outras competências necessárias que fazem uma liderança ser boa no que faz. Tudo isso, é claro, sem deixar de lado o desenvolvimento e o acolhimento das pessoas do time. 

>> Leia também: Diversidade e Inclusão como estratégia para alavancar negócios

Liderar com foco na Diversidade e Inclusão

Em resumo, liderar é a capacidade de gerir todas as pessoas da equipe e orientá-las na mesma direção para alcançar os objetivos do negócio. Para além de saber lidar com os diversos perfis do time, a liderança precisa compreender as necessidades individuais e coletivas, alinhadas às necessidades do negócio. Nesse sentido, é imprescindível que ela seja aliada à Diversidade e Inclusão. 

Por mais que as organizações estejam abertas para trabalhar a pauta, ainda existem muitos desafios para que elas se tornem maduras e preparadas para desenvolver uma gestão  focada na  Diversidade e Inclusão. 

O primeiro passo é reconhecer os erros da companhia, saber que há muita coisa para ser feita, além de elaborar um diagnóstico da empresa para traçar um trabalho que, sem sombras de dúvidas, será contínuo e sem data para acabar. Afinal de contas, não há futuro nas organizações se não houver um trabalho bem estruturado de Diversidade e Inclusão. 

Quando falo que os negócios não sobreviverão sem Diversidade e Inclusão, não se trata somente do meu ponto de vista. É algo já apontado em pesquisas e destacado, inclusive, pela bolsa de valores do Brasil, a B3. 

A instituição comunicou que vai excluir da sua lista empresas que não aderirem às novas regras. A bolsa vai exigir que até 2025, todas empresas listadas tenham pelo menos uma mulher e um representante de minorias em cargos de conselhos e diretorias.

Já deu pra perceber que é inegociável a Diversidade e Inclusão nos negócios, não é mesmo? Por isso, é papel da lideranças apoiar as ações de Diversidade e Inclusão se quiserem trazer inovação e resultados positivos para as empresas

Você pode estar se perguntando: qual é a relação da inovação com a Diversidade e Inclusão? Ela está relacionada pois, quando uma equipe tem variados pontos de vista, fica mais fácil ter novas ideias e construir algo novo. Se temos pessoas com pensamentos iguais, por mais que usem ferramentas e tecnologias diferentes, isso não é inovar. Falar de inovação é trazer pessoas de lugares diferentes, com posicionamentos diferentes, para assim ter mais criatividade e inovação nos negócios.

liderança inclusiva
Foto de WOCInTech no Nappy

Como ser uma liderança inclusiva e inovadora

Atualmente, uma liderança precisa ser mais do que boa gestora e executora: é necessário que ela fique por dentro das inovações tecnológicas e sociais que permeiam o mercado de trabalho. Em paralelo, uma boa liderança deve ajudar as pessoas colaboradoras a terem senso de pertencimento a empresa, independente da etnia, cultura, religião, orientação sexual e de gênero, idade, com ou sem deficiência física ou mental, grupo social ou qual for sua vivência.

É aí que surge a liderança inclusiva: aquela que acolhe, respeita e dá autonomia ao time. Cada pessoa é valorizada e não deixada de lado com o sentimento de não ser tratada de maneira igualitária. Dentro de uma companhia, uma verdadeira liderança não é aquela que manda, cobra e vigia o trabalho do time, mas sim aquela que se adapta às situações, motiva, inspira, orienta, acolhe e extrai o melhor de cada profissional.

Por isso, para qualquer organização interessada em investir em Diversidade e Inclusão, é primordial preparar suas lideranças para embarcarem nessa missão de acolhimento a todas as pessoas colaboradoras, fazendo com que se sintam valorizadas na empresa.

Pensando no contexto de uma liderança inclusiva, é importante que as organizações verifiquem qual é o perfil de líder que ela já possui.  Mesmo que  tenham ótimas lideranças e que sejam excelentes no que fazem, é primordial entender o seu papel social na inclusão da diversidade. 

Não adianta, por exemplo, uma liderança ter grande experiência em gestão de processos, mas que ao mesmo tempo seja preconceituosa. Lideranças com comportamentos excludentes não permitem que as pessoas possam pertencer, colaborar, criar e inovar. 

O clima interno se torna de pressão e de coação. As pessoas vão embora e, além do turnover, a empresa precisará lidar com denúncias públicas que impactam a marca. Dessa forma, podemos dizer que uma das consequências do trabalho de Diversidade e Inclusão nas empresas é a inovação. Ambientes diversos ajudam a promover novas ideias, criatividade e ações positivas para o negócio. 

>> Leia também: ARTIGO – “Pretos no topo”? A falta de representatividade nos cargos de liderança

Razões para ter uma liderança inclusiva

Existem várias razões para se adotar uma liderança inclusiva nas empresas. E um desses motivos é o desenvolvimento dos talentos que antes não eram valorizados como deveriam.

Pense comigo: quantas pessoas poderiam contribuir mais com a empresa se tivessem uma oportunidade ou se sentissem acolhidas pelo time e liderança? 

Ter indivíduos com vivências diversas  é um ótimo jeito de dar chance a novos talentos e, inclusive, ter melhores resultados em questões importantes como a inovação. Tudo isso ajuda, e muito, na competitividade empresarial. 

Ao se sentirem valorizadas, as pessoas estarão mais à vontade para ajudar com a equipe. Imagine uma equipe inteira contribuindo nas reuniões, estratégias ou ações dentro da empresa. É incrível o potencial de uma empresa que valoriza a diversidade.

Ter uma liderança inclusiva, empática e que valoriza o time certamente gera um impacto positivo no dia a dia da empresa. Em vez das pessoas se sentirem ignoradas ou excluídas, todas serão acolhidos em suas igualdades e diferenças. Sendo assim, impulsiona sua motivação individual e, claro, melhora  também o clima interno na companhia. 

Mais do que um discurso, abraçar a diversidade e a inclusão é uma atitude concreta do cotidiano. Ter lideranças capacitadas para adotar essa tendência em sua realidade é uma excelente forma de perpetuar essa postura nas equipes , acolhendo os indivíduos e contribuindo para tornar a empresa referência em Diversidade e Inclusão.

>> Leia mais: O papel das empresas na busca por igualdade racial

Conheça a Profissas

E aí, sua empresa está preparada para uma cultura inclusiva?

Na Profissas, Escola da Diversidade, oferecemos parcerias estratégicas completas no desenvolvimento de pessoas e conexão com a Diversidade. Criamos experiências educativas empoderadoras para dar protagonismo às pessoas, com foco em grupos  representativos e educando para a Inclusão acontecer de verdade.

E aí, vamos juntes nessa jornada por uma liderança mais inclusiva e inovadora? Você pode acompanhar as notícias da Profissas pelo blog e também pelas redes sociais LinkedIn, Instagram e Spotify. Veja também abaixo a entrevista de Lucas Lima, co-fundador da Profissas, no RD Summit Live Show.